quarta-feira, 22 de novembro de 2017

NÃO PODEMOS DOMESTICAR OS SONHADORES- NÃO MESMO! ATÉ MAIS...

AINDA BEM QUE ESTA LOUCA NÃO FICOU COM A GUARDA DA FILHA

Justiça inocenta mulher que tentou matar filha de 7 meses no AM.




A dona de casa Enoli Lara Figueiredo, presa após tentar matar a filha de 7 meses envenenada, foi absolvida do crime, cometido em agosto de 2013. 
A decisão foi tomada pela Justiça do Amapá, nessa terça-feira (21), que entendeu que a mulher não tinha consciência do ato, já que apresentava problemas mentais.
O pai da criança e ex-marido da acusada ficou com a guarda da garota.

Entenda o caso
Em agosto de 2013, a mãe da bebê ingeriu veneno de rato na boca da criança, que deu entrada no hospital em estado grave. A acusada disse que teria ouvido vozes espirituais insistindo para que ela cometesse o crime.
Na época, Enoli foi denunciada pelo Ministério Público por tentativa de homicídio qualificado após investigação da Polícia Civil. Porém, Enoli, que chegou a ficar presa por 20 dias no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), fez tratamento médico psiquiátrico e psicológico durante todo o tempo em que esteve sob disposição da Justiça.
Notícias ao Minuto

COISA MAIS LINDA A FLOR DE CERA QUE ME CABE NA MÃO




Obrigada por ter nascido aqui pertinho 
e ter-me encantado e ter acariciado
meu velho coração!
Obrigada por ser tão doce e suave,
tão pura, tão bela e perfeita, 
tão leve como uma pluma, 
tão branca como a paz...
Pequena, frágil e efêmera?
Não!
Soberba, grandiosa, magnífica e esplêndida 
como só mesmo o espírito da natureza-mãe.


LEI MARIA DA PENHA = STJ APROVA SÚMULA 600













A 3ª seção do STJ aprovou nesta quarta-feira, 22, a súmula 600 que dispõe sobre a configuração de violência doméstica no âmbito da lei Maria da Penha.
Confira o novo verbete:
“Para configuração da violência doméstica e familiar prevista no artigo 5º da lei 11.340/2006, lei Maria da Penha, não se exige a coabitação entre autor e vítima.”

Migalhas Quentes.

JUIZ MANCOMUNADO COM A GLOBO?


O presidente nacional do Partido da República (PR), Antônio Carlos Rodrigues, o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e a esposa dele, a também ex-governadora Rosinha Garotinho fariam parte de uma organização criminosa, conhecida no meio político como Orcrim. 
A acusação foi feita pelo juiz eleitoral Glaucenir Silva de Oliveira, da 98ª Zona Eleitoral, de Campos dos Goytacazes, que determinou hoje (22) a prisão preventiva dos três e de mais cinco pessoas por envolvimento em operações de caixa 2, algumas delas com o grupo JBS, no total de R$ 3 milhões.
Segundo Oliveira, havia uma estrutura bem determinada, com divisão de tarefas, envolvendo empresários, políticos e secretários de governo do município de Campos durante o período em que Rosinha foi prefeita da cidade, entre 2009 e 2016. Parte das informações foi obtida por meio da colaboração do empresário André Luiz da Silva Rodrigues, dono da empresa Ocean Link Solutions Ltda, que realizou contrato simulado com a JBS para viabilizar o pagamento de milhões à campanha de Garotinho ao governo do Rio de Janeiro em 2014.
O juiz cita o presidente nacional do PR, Antônio Carlos Rodrigues, como beneficiário de propina no valor de R$ 20 milhões, provenientes da JBS, também na campanha de 2014, para garantir apoio da sigla à reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff.
“Ressalto a participação na Orcrim do réu Antônio Carlos Rodrigues, que ressai da colaboração premiada oferecida na Operação Lava Jato pelo executivo da JBS Ricardo Saud. Segundo esclarecido pela testemunha, ao longo do segundo mandato do governo do ex-presidente Lula [Luiz Inácio Lula da Silva] e no decorrer do governo Dilma na Presidência da República, a empresa teria que pagar propina ao PT e ao PMDB com vistas a obter facilidades no governo federal, sendo certo que em 2014 a empresa teria que pagar propina de R$ 20 milhões de reais ao PR, para obter seu apoio para a reeleição da ex-presidente Dilma Rousseff”, afirmou o juiz.
Além da prisão preventiva de todos os denunciados, o juiz determinou o sequestro dos bens móveis e imóveis, bem como o bloqueio de dinheiro existente em nome dos réus e das empresas Macro Engenharia e Ribeiro Azevedo Construções. 
Também foi determinada a busca e apreensão de telefones celulares, computadores, mídias, pen drives ou documentos dos acusados que possam ajudar a elucidar os crimes descritos na denúncia.
Casal Garotinho é acusado de organização criminosa e corrupção.
Oliveira também ordenou o imediato afastamento de Anthony Garotinho e Antônio Carlos Rodrigues dos cargos de presidente estadual (RJ) e nacional do PR, respectivamente.
De acordo com a nota, o ex-governador não foi encaminhado para a cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, por causa de uma suposta ameaça feita pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, Jorge Picciani, que está preso no local.
Fonte: Diário de Pernambuco.

"CHICA DA SILVA" É QUE É IRASCÍVEL


O presidente da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), Laerte Rímoli, ridicularizou o discurso da atriz Taís Araújo sobre o racismo no Brasil. 
Em vídeo disseminado no Dia da Consciência Negra, na segunda-feira (20), ela havia afirmado "no Brasil, a cor do meu filho faz as pessoas mudarem de calçada" como forma de expor o preconceito existente no país. 
O gestor empossado por Michel Temer postou no Facebook um meme (montagem em formato de piada) com uma colagem da profissional da Globo com uma criança branca correndo em primeiro plano e a frase - "Quando você percebe que é o filho da Taís Araújo na calçada".
Fonte: Diário de Pernambuco.

MUDANÇAS NAS DOCUMENTAÇÕES JÁ ENTRARAM EM VIGOR

Certidões de nascimento, casamento e óbito mudaram a partir do dia 21 de novembro de 2017. O CPF passará a ser obrigatório nos três documentos.


Novos modelos de certidão de casamento e de nascimento, segundo regulamentação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) (CNJ/Reprodução)
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) alterou itens das certidões de nascimento,casamento e óbito que serão emitidas a partir desta terça-feira. 
Entre as mudanças estão a obrigatoriedade da inclusão do CPF no registro de filiação e em casos de pais socioafetivos e reprodução assistida.
O registro do número do CPF será obrigatório nos três documentos. 
No caso das certidões emitidas antes da norma, a inclusão poderá ser feita gratuitamente. O CPF foi o documento indicado pelo CNJ no início do mês como aquele cujo número será a identificação civil nacional, após o processo de unificação de documentos que está em curso.
Em relação às certidões de nascimento, o registro dos pais passa a ser identificado como “filiação”, em vez de genitores, e não poderá haver espaços delimitados para pais e mães. 
Isso ocorre para que, no caso de o pai ser desconhecido, o documento não ficar com um espaço em branco. Também não será mais obrigatório o registro do doador de material biológico, no caso de reprodução assistida.
A nova regulamentação também permite fazer o reconhecimento voluntário de pais socioafetivos. Antes, esse tipo de registro era feito por meio de decisões judiciais. 
Outra mudança é que será possível registrar o local de nascimento como a cidade em que a mãe reside. 
A medida beneficia pessoas oriundas de cidades em que não há maternidades.
Fonte: Veja