terça-feira, 31 de maio de 2016

SUICÍDIO EM SÃO MIGUEL ARCANJO

JOSÉ ROBERTO PUPA FERREIRA 
DATA/LOCAL DO FALECIMENTO: 30/05/2016, ÀS 16:00 HORAS, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
32 ANOS DE IDADE, RECEPCIONISTA, SOLTEIRO, ERA FILHO DE OLEGÁRIO PUPA FERREIRA E ANÉSIA MARIA DE JESUS FERREIRA E NÃO DEIXOU FILHOS.
O VELÓRIO ACONTECE NA SALA 01 DA FUNERÁRIA CAMARGO, DE ONDE SAIRÁ O FÉRETRO PARA SEPULTAMENTO LOGO MAIS, ÀS 16:30 HORAS, JUNTO AO CEMITÉRIO SÃO JOÃO BATISTA, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
DEUS TENHA PIEDADE DE SUA ALMA.

domingo, 29 de maio de 2016

A DELAÇÃO DAS DELAÇÕES


Não satisfeito com a explicação de Dilma para os encontros que teria tido com Marcelo Odebrecht - à "Folha", ela disse que "nunca" o recebeu no Alvorada, e no Planalto, não lembrava -, a quem teria pedido dinheiro irregular para a campanha à reeleição, segundo Sarney, o Blog do Josias foi à luta. 
Consultou os arquivos eletrônicos do Planalto e descobriu que Dilma recebeu Marcelo pelo menos 4 vezes, duas das quais no Alvorada, ambas em 2014, ano da reeleição. 
É esperar pela delação do empreiteiro que, diz Sarney, será um "tiro de 100" em Dilma. 
 
Blog do Jefferson

SÃO-MIGUELENSES AGRIDEM E ROUBAM CELULARES DE DUAS ADOLESCENTES EM ITAPETININGA

Quatro indivíduos moradores em São Miguel Arcanjo, a bordo de um automóvel Gol de cor escura foram acusados de agredirem e roubarem dois celulares de duas adolescentes - 14 e 15 anos - em Itapetininga.
O fato deu-se ontem à tarde, quando as meninas caminhavam por uma via pública em Itapetininga e o Gol parou próximo a elas; do seu interior, desceram três sujeitos que agrediram as adolescentes, subtraindo-lhes os celulares, e fugiram do local.
As garotas anotaram a placa do veículo e acionaram a Polícia Militar que a identificou.
O caso foi informado à Polícia Militar de São Miguel Arcanjo. Policiais se posicionaram nas entradas da cidade.
Os celulares foram encontrados e os meliantes também.  A polícia ainda encontrou um cartão de uma seguradora de veículo e uma carteira.
Ao ao realizar pesquisa, a polícia soube que tais objetos são rés furtivas de um furto ocorrido no mesmo sábado à tarde, 28/05, quando uma bolsa fora subtraída do interior de um veículo em São Miguel Arcanjo.
O furto da bolsa teria ocorrido antes dos quatro indivíduos saírem de São Miguel Arcanjo e irem para Itapetininga.
O delegado da cidade, Eduardo de Souza Fernandes ratificou o flagrante de roubo e prendeu os indivíduos: José Inácio Nogueira, 24 anos; Mauricio Evandro Alves Vaz, 25 anos; Afonso Henrique Silveira de Medeiros, 22 anos e o menor L. H. M. B., de 16 anos.
Todos são moradores de São Miguel Arcanjo. 
Fonte: Blog do Toni Silva.

ESTUPRADORES PSICOPATAS DEVEM SER EXTIRPADOS DA SOCIEDADE

É AGUARDARMOS O DESENROLAR DESSE ESTUPRO COLETIVO...

Reprodução do Extra online
Reprodução do Extra online

Várias vezes o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame diante da gravidade de um fato transferiu investigações de uma delegacia para outra, de acordo com especialização. 
Nesse caso do estupro coletivo a investigação deveria ter saído da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e passar para a Delegacia da Mulher. 
Que o vazamento do vídeo fosse investigado pela primeira, mas que o estupro fosse apurado pela Delegacia da Mulher. 
Pior, a adolescente prestou depoimento só a policiais homens, um constrangimento absurdo. 
Eu como governador inaugurei várias delegacias da Mulher, dei todo o apoio, como deve lembrar a deputada Martha Rocha, que nomeei presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher. 
O fato é que a Polícia Civil está metendo os pés pelas mãos nesse inquérito. 
Ainda bem que o Ministério Público e a OAB vão passar a acompanhar o caso. 
Blog do Garotinho

sábado, 28 de maio de 2016

MUITO FRIO. ATÉ MAIS...


" COMIGO NÃO, VIOLÃO!"


Associação de Estudos Latino-Americanos (Lasa) faz 50 anos com festão em Nova York. 
Convidado, ex-presidente FHC cancelou participação ao saber que intelectuais de universidades brasileiras - berço da esquerda - o repudiavam porque ele apoiou impeachment de Dilma. 
Em carta à Lasa, disse FHC:
------------ "Aos 85 anos de idade, eu não gostaria de dar pretexto para mentes radicais, guiadas por paixões partidárias, para me usar em uma luta imaginária 'contra o golpe'[...]". 
Macaco velho, FHC impediu que partidários do "bloco dos sujos" fizessem palhaçada com ele nos EUA.
Blog do Jefferson

FHC, HONORIS CAUSA EM HARVARD

Harvard concede título honoris causa a Fernando Henrique e Spielberg. Título de FHC destaca os laços da universidade com o Brasil, diz Harvard.
Steven Spielberg foi orador da cerimônia de formatura.
Do G1/ São Paulo

 
 
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (no alto, à direita) e o cineasta Steven Spielberg (abaixo, à esquerda) receberam título honoris causa da Universidade Harvard nesta quarta-feira (26) (Foto: REUTERS/Brian Snyder)
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o cineasta Steven Spielberg estão entre as nove personalidades que receberam nesta quinta-feira (26) título honoris causa da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.
De acordo com Harvard, o título honoris causa concedido a FHC destaca os laços da universidade com o Brasil e segue o recente anúncio de aumentar a ajuda de longa data de Jorge Paulo Lemann para estudantes brasileiros matriculados na universidade e para pesquisas sobre o Brasil.
 

CONCEIÇÃO DA COSTA RODRIGUES

FALECEU NO DIA 28/05/2016, ÀS 04:50 HS, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
75 ANOS, APOSENTADA, CASADA COM ANTENOR FRANCO RODRIGUES, FILHA DE THOMÉ DA COSTA CHAVES E ANNA DOMINGUES DOS PASSOS, DEIXOU OS FILHOS: VALDIMIR, JURANDIR E JURACI.
VELÓRIO: NA IGREJA CATÓLICA DO BAIRRO GRAMADÃO, EM SÃO MIGUEL ARCANJO, DE ONDE SAIRÁ O FÉRETRO LOGO MAIS, ÀS 16:00 HS, PARA SEPULTAMENTO JUNTO AO CEMITÉRIO SÃO JOÃO BATISTA, EM CAPÃO BONITO. 
 

NO BRASIL A BENEMERÊNCIA PODE ENGLOBAR LAVAGEM DE DINHEIRO...

Por que os milionários brasileiros não doam suas fortunas a universidades?
Nos Estados Unidos, ricos ajudam museus e instituições de ensino superior. No Brasil, a burocracia atrapalha quem quer fazer o bem.
FERNANDO SCHÜLER
Atualizado 26/05/2016 15h44
  
GENEROSIDADE
O milionário Stephen Schwarzman (à esq.) com Peter Salovey, diretor de Yale. Ele doou US$ 150 milhões à universidade (Foto: Divulgação)

Stephen Schwarzman costumava fazer suas refeições no Commons, quando estudante em Yale, em meados dos anos 1960. Sujeito tímido, vindo de escola pública, sentia-se bem naquele edifício de estilo neoclássico, situado no coração da universidade. Formado em 1969, Schwarzman percorreu passo a passo o sonho americano. Nos anos 1980, criou o grupo Blackstone, hoje um dos maiores fundos de investimento dos Estados Unidos. Consta como o 122º sujeito mais rico do planeta, na lista da Forbes. No último dia 11 de maio, anunciou uma doação de US$ 150 milhões para a conversão do velho Commons em um moderno centro de artes.
O centro levará o nome de Schwarzman. Há quem veja nisso um simples desejo de “imortalidade através do dinheiro”, como li em uma crítica. Pouco importa. Talvez alguém tenha pensado o mesmo quando Lenand Stanford criou a universidade que levaria seu nome, na década de 1880, na Califórnia. Ou quando resolveram dar o nome de Solomon Guggenheim, logo após sua morte, ao museu projetado por Frank Lloyd Wright, no coração de Manhattan. Quem sabe teria sido melhor, para os Estados Unidos, imitar o exemplo brasileiro. Por aqui, pouca gente tenta perpetuar o próprio nome, doando para universidades e museus. Talvez por isso lê-se, por estes dias, o anúncio de fechamento da Casa Daros, primoroso espaço de artes, no Rio de Janeiro, por falta de recursos.


 
DUAS REALIDADES
O Guggenheim, em Nova York (Foto: Sean Pavone Photo/Getty Images) 

 
Casa Daros, no Rio de Janeiro. Um museu prospera. O outro vai fechar as portas (Foto: Monica Imbuzeiro/Ag. O Globo) A tradição da filantropia americana vem de longe. É possível pensar que Andrew Carnegie seja seu maior ícone e, de certo modo, definidor conceitual. Imigrante pobre, Carnegie fez fortuna na siderurgia americana, na segunda metade do século XIX. Em 1901, aos 66 anos, vendeu suas indústrias ao banqueiro J.P. Morgan e tornou-se o maior filantropo americano. Uma de suas tantas proezas, não certamente a maior, foi construir mais de 3 mil bibliotecas, nos Estados Unidos. Em 1889, escreveu o artigo “The Gospel of Weath”, defendendo que os ricos deveriam viver com comedimento e tirar da cabeça a ideia de legar sua fortuna aos filhos. Melhor seria doar o dinheiro para alguma causa, ou várias delas, a sua escolha, ainda em vida. O Estado poderia dar um empurrãozinho, aumentando o imposto sobre a herança, mas deveria evitar a tributação das grandes fortunas. O melhor resultado, para todos, seria obtido se os próprios ricos distribuíssem sua riqueza, com cuidado e responsabilidade. Recentemente, foi o argumento usado por Bill Gates, o maior filantropo de nossa era, em oposição a Thomas Piketty e sua obsessão em tributar os mais ricos.
Gates não fala da boca para fora, nem é uma voz isolada. Em 2009, ele lançou, junto com Warren Buffett, o mais impressionante movimento de incentivo à filantropia já visto: The Giving Pledge. A campanha tem, até o momento, 128 signatários. Para participar, basta ser um bilionário e assinar uma carta prometendo doar, em vida, mais da metade de sua fortuna a projetos humanitários. Para boa parte dessas pessoas, doar 50% é pouco. Larry Elisson, criador da Oracle, comprometeu-se em doar 95% de sua fortuna, hoje avaliada em US$ 56 bilhões. Buffett foi além: vai doar 99%. Como bem observou o filósofo alemão Peter Sloterdijk, parece que, ao contrário do que acreditávamos no século XX, não são os pobres, mas os ricos que mudarão o mundo. Sloterdijt, por óbvio, não conhece bem o Brasil.
Nos Estados Unidos, o valor das doações individuais à filantropia chega a US$ 330 bilhões por ano. No Brasil, os números são imprecisos, mas estima-se que o montante não passa de US$ 6 bilhões por ano. Apenas 3% do financiamento a nossas ONGs vem de doações individuais, contra mais de 70%, no caso americano. Há, segundo a tradicional lista da revista Forbes, 54 bilionários no Brasil. Nenhum aderiu, até o momento, ao movimento da Giving Pledge. Consta que Jorge Paulo Lemann, o número 1 da lista, foi convidado. Não duvido que dia desses anuncie sua adesão. Seria um exemplo para o país.
Explicações não faltam para essa disparidade. Há quem goste de debitar o fenômeno na conta de nossa “formação cultural”. Por essa tese, estaríamos atados a nossas raízes ibéricas, sempre esperando pelos favores do Estado, indispostos a buscar formas de cooperação entre os cidadãos para construir escolas, museus e bibliotecas ou simplesmente para consertar os brinquedos e plantar flores na praça do bairro.
É possível que haja alguma verdade nisso. O rei Dom João III, lá por volta de 1530, dividiu o país em capitanias hereditárias e as dividiu entre fidalgos e amigos da corte portuguesa. Fazer o quê? Enquanto isso, os peregrinos do Mayflower desembarcaram nas costas da Nova Inglaterra, movidos pela fé e pelo amor ao trabalho, para construir um novo país. Uma bela história, sem dúvida. Muito parecida com a de meus antepassados alemães, que desembarcaram em 1824 nas margens do Rio dos Sinos, no Rio Grande do Sul. Há muitas histórias, há muitos tipos de formação cultural, no Brasil, assim como nos Estados Unidos. Não é difícil escolher uma delas para justificar qualquer coisa.
De minha parte, desconfio da tese do caráter cultural. Ela é abstrata demais, difícil de mensurar e, pior, tende a levar à acomodação. Prefiro concentrar o foco na variável sobre a qual – ao menos em boa medida – temos controle. E essa variável é institucional. Minha tese é: o modelo institucional e de incentivos que adotamos simplesmente não favorece o desenvolvimento da filantropia. Ele incentiva que as pessoas esperem que o Estado resolva seus problemas. E é o que elas fazem, em geral.
Vamos a um exemplo: nossos sistemas de incentivo fiscal a doações. Nos Estados Unidos, se alguém quiser doar algum recurso para o MoMA (o Museu de Arte Moderna, em Nova York), poderá abater até 30% de seu rendimento tributável. Para algumas instituições, esse percentual sobe a 50%. No Brasil, seu abatimento é limitado a 6% do Imposto de Renda, se o contribuinte fizer a declaração completa.
O pior, no entanto, acontece do outro lado do balcão. Para receber a doação, o museu brasileiro deverá ter um projeto previamente aprovado pelo Ministério da Cultura, em Brasília. Serão meses em uma via crucis, listando minuciosamente o gasto futuro com o projeto, e depois mais alguns meses para a prestação de contas detalhada do que foi gasto com sua execução. Fico imaginando o que o MoMA faria se, para receber doações, tivesse de enviar previamente um projeto para ser analisado em Washington, linha a linha, por um grupo de funcionários públicos. Os Estados Unidos nem sequer têm um Ministério da Cultura. As doações e os incentivos são diretos, sem burocracia. Por isso, funciona.
Vamos a outro exemplo: os americanos adotam como principal estratégia de financiamento de suas instituições – sejam museus, universidades ou orquestras sinfônicas – os chamados “fundos de endowment”. A ideia é bem simples: uma poupança de longuíssimo prazo, destinada a crescer, ano a ano, da qual a instituição retira parte dos rendimentos para seu custeio. Simplesmente nenhuma grande instituição universitária ou cultural americana vive sem seu endowment. Há 75 universidades com fundos de mais de US$ 1 bilhão. O maior de todos, de Harvard, tem US$ 36 bilhões em caixa.
Pois bem, vamos imaginar que um milionário acordasse, dia desses, decidido a doar uma boa quantia para algum endowment no Brasil. Ele gosta de artes visuais e quer doar a um museu. Em primeiro lugar, ele não teria nenhum incentivo fiscal para fazer isso. O Ministério da Cultura simplesmente proíbe que um museu brasileiro apresente um projeto para receber doações para endowments. Em segundo lugar, não haveria nenhum endowment para ser apoiado. Nos Estados Unidos, ele encontraria milhares, e bastaria escolher algum, na internet. Em Pindorama, nenhum. As leis não favorecem, os incentivos inexistem, as instituições não estão organizadas para receber as doações. E a culpa segue por conta de nossa “formação cultural”.
Outra razão diz respeito ao modelo de gestão de nossas instituições. O Brasil teima, em pleno século XXI, a manter uma malha obsoleta de universidades estatais. Elas consomem perto de 30% dos recursos do Ministério da Educação, mas nenhuma se encontra entre as 200 melhores do mundo, no último levantamento da revista Times Higher Education. Enquanto isso, os Estados Unidos dispõem de 48 das 100 melhores universidades globais. Princeton, Yale, Columbia, MIT seguem, em regra, o mesmo padrão: instituições privadas, sem fins lucrativos, com largos endowments, cobrando mensalidades e oferecendo um amplo sistema de bolsas por mérito (em âmbito global), e ancoradas em uma rede de alumni e parcerias públicas e privadas. Não é diferente do que ocorre com museus e instituições culturais.
O ponto é que o Brasil pode mudar. Há exemplos de líderes empresariais que fazem sua parte. Há o caso exemplar do banqueiro Walter Moreira Salles, fundador do Instituto Unibanco, voltado à educação, e do Instituto Moreira Salles, voltado à cultura. Há a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, há o Museu Iberê Camargo, criado por Jorge Gerdau, e há a Fundação Roberto Marinho, à frente do maior projeto cultural do Brasil, nos dias de hoje, que é o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Há uma imensa generosidade e espírito público, no país, ainda bloqueados pelo anacronismo dos modelos de gestão pública que adotamos. Instituições, mais do que a história. Incentivos, mais do que uma suposta genética cultural. Essa deve ser nossa aposta.

CONHECEU SAL MINEO?

Salvatore Mineo Jr., ator estadunidense de origem italiana, mais conhecido por Sal Mineo, foi um dos primeiros atores que assumiu publicamente a sua homossexualidade nos anos 1960. 
Nascido em 1939 e morto em 1976, despontou para a fama nos anos 50, com o filme "Juventude Transviada", onde contracenou com James Dean, fazendo o papel de um milionário que se apaixonaria por Dean. 
Tanto Mineo como Dean eram apontados como bissexuais, e houve quem dissesse que os dois tiveram um caso. 
Ambos tiveram fim trágico: James Dean morreu em 1955 em um desastre de carro e Sal Mineo no ano de 1976, assassinado em circunstâncias misteriosas.
Uma biografia do ator escrita por Michael Gregg Michaud, resultado de dez anos de pesquisa e entrevistas com amigos, colegas e casos amorosos do ator, Sal Mineo nunca foi amante de James Dean, mas teve um caso com Bobby Sherman - ídolo teen dos anos 60. 
O autor também afirma que Mineo não foi morto por um michê, ao contrário do que se pensa: foi esfaqueado perto de seu apartamento, em Hollywood, quando voltava de um ensaio teatral. "A polícia encontrou em sua casa uma cópia do Kama Sutra gay e viu calças de couro no armário, e chegaram à ridícula conclusão de que a morte dele tinha algo de SM", diz o autor do livro. 
O assassino do ator foi condenado em 1979.
A carreira de Sal Mineo foi uma subversão às regras de Hollywood. Ele começou fazendo aulas de canto, dança e atuação ainda na infância, e passou a trabalhar na Broadway na adolescência. 
Com "Juventude Transviada", foi indicado ao Oscar de Ator Coadjuvante aos 16 anos. 
Na TV americana, interpretou o gênio Aladdin em um telefilme com músicas de Cole Porter, em 1958.
Veio a decadência, e para voltar à cena Mineo apostou alto: apareceu totalmente nu no espetáculo "Fortune and Men's Eyes", de 1969 - uma ousadia para os padrões da época. 
A peça falava da homossexualidade masculina na cadeia, com direito a temas como escravidão sexual e outras dinamites. Virou filme em 1971, sem Mineo no elenco.
A biografia "Sal Mineo", em versão original, pode ser encontrada em sites como Amazon.
 
Fonte: A Capa
 

HORA DE DESPERTAR!

Revista ÉPOCA - capa da edição 937 - A cada 11 minutos, uma mulher é violentada no Brasil. E ainda há quem diga que a culpa é da vítima (Foto: Revista ÉPOCA / Divulgação)

QUEM DISSE QUE POLÍTICOS, EMPRESÁRIOS E ARTISTAS SÃO CORRUPTOS NESTE PAÍS, RATINHO?


SBT fica em alerta após Ratinho 'criticar' Claudia Leitte e Luan Santana.
Ratinho tratou de exibir uma lista com nomes de artistas que entraram junto ao governo com o pedido de “patrocínio” para desenvolvimento de seus projetos”.
Reprodução/Notícias Ao Minuto

Não pegou muito bem as declarações de Ratinho em seu programa no SBT sobre a Lei Rouanet, incentivo financeiro concedido pelo governo a artistas que desenvolvem projetos de cunho “cultural”. 
Nesta semana, o apresentador deu sua opinião sobre o assunto e a repercussão foi tão grande que já causa preocupação nos bastidores do canal de Silvio Santos.
Em seu programa, Ratinho tratou de exibir uma lista com nomes de artistas que entraram junto ao governo com o pedido de “patrocínio” para desenvolvimento de seus projetos”, entre eles estão MC Guimê, Maria Bethânia, Luan Santana, Detonautas e Claudia Leite.
----------------------- “Luan Santana, é sacanagem. Você num cobra ingresso? Se você cobra ingresso não pode pegar dinheiro do governo. Isso é uma baita de uma sacanagem”, detonou o apresentador. 
O cantor está tentando captar R$ 4,1 milhões para a sua nova turnê. 
-------------- “Eles querem ficar mamando nas tetas”, disse o apresentador em tom de revolta.
Após as declarações, alguns artistas estão dispostos a fazer uma espécie de “boicote” ao programa do apresentador. 
No SBT, a produção recebeu a ligação de alguns famosos reclamando da postura do apresentador. 
A preocupação agora é que esse “boicote”, mesmo que temporário, possa afetar outras produções da casa.
Após perceber a repercussão de suas declarações, Ratinho procurou adotar no dia seguinte um tom mais suave, destacando, inclusive, que Luan Santana não teria recebido esse dinheiro.
 

sexta-feira, 27 de maio de 2016

BOA NOITE!

" POR UM MUNDO SEM ARMAS NUCLEARES"

 
 
"Viemos para chorar todos os inocentes mortos naquela terrível guerra. Temos uma responsabilidade de olhar diretamente nos olhos da História. Devemos perguntar o que devemos fazer de maneira diferente para conter tal sofrimento novamente. O progresso tecnológico sem o equivalente progresso nas instituições humanas podem nos condenar. A revolução científica que levou à divisão do átomo requer uma revolução moral também." 
As palavras são do presidente norte-americano, Barack Obama, ao colocar uma coroa de flores no Memorial da Paz de Hiroshima 70 anos após um Boeing B-29 denominado Enola Gay jogar uma bomba atômica na cidade de Hiroshima, Japão, matando mais de 140 mil pessoas (dias depois, uma 2ª bomba vitimou outras 70 mil em Nagasaki). 
O objetivo do presidente dos EUA Harry S. Truman, ao usar a arma nuclear, era forçar a rendição japonesa e pôr fim à 2ª Guerra Mundial. 
Embora as palavras de Obama não tenham sido seguidas por um pedido de desculpas, a simbologia do gesto, assim como suas palavras, nos remetem à reflexão. 
O mundo sentirá saudades de Barack Obama. 
 
Blog do Jefferson

O FIO DO MACHADO...

COM CERTEZA!

LEI OBRIGA USO DE FAROL BAIXO DURANTE O DIA EM RODOVIAS








 
 
 
O presidente em exercício, Michel Temer, sancionou a lei que obriga o uso de farol baixo durante o dia em rodovias. A lei 13.290 foi publicada no DOU de terça-feira, 24, e teve um veto.
A norma estabelece que "o condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias". O desrespeito às regras resultará em infração média sujeita à penalidade de multa.
Temer vetou o dispositivo que previa que a norma entraria em vigor na data da publicação. Para o presidente, antes de entrar em vigor, "é essencial a incidência de vacatio legis que permita a ampla divulgação da norma".
"A norma possui amplo alcance, pois afeta os motoristas que circulam em rodovias nacionais e os órgãos de trânsito da Federação, e resulta na previsão de nova infração de trânsito, de gravidade média. Sempre que a norma possua grande repercussão, deverá ter sua vigência iniciada em prazo que permita sua divulgação e conhecimento." _____________


LEI Nº 13.290, DE 23 DE MAIO DE 2016.

Torna obrigatório o uso, nas rodovias, de farol baixo aceso durante o dia e dá outras providências.

O VICE – PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º O inciso I do art. 40 e a alínea b do inciso I do art. 250 da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 – Código de Trânsito Brasileiro, passam a vigorar com a seguinte redação:


“Art. 40. .................................................................

I - o condutor manterá acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias;

...........................................................................” (NR)

“Art. 250. ...............................................................

I – ..........................................................................

.....................................................................................

b) de dia, nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias;

...........................................................................” (NR)

Art. 2º (VETADO).

Brasília, 23 de maio de 2016; 195o da Independência e 128o da República.

MICHEL TEMER

SEXTA-FEIRA...



MARIA ELEUTÉRIA LUIZ

FALECEU NO DIA DE ONTEM, ÀS 20:30 HORAS, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
COM A IDADE DE 78 ANOS, ERA APOSENTADA.
VIÚVA DE BENEDITO PEDRO LUIZ, ERA FILHA DE JOÃO ELEUTÉRIO E ANTONIA MARIA DA CONCEIÇÃO E DEIXOU OS FILHOS: PAULO, JOSÉ BENEDITO, ANDRÉ, FÁTIMA, ROSÂNGELA, KÁTIA, AUXILIADORA E APARECIDA.
O SEPULTAMENTO DAR-SE-Á LOGO MAIS, ÀS 16:30 HORAS, JUNTO AO CEMITÉRIO SÃO JOÃO BATISTA, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
 

ROSA MARIA FERREIRA

COM A IDADE DE 91 ANOS, FALECEU NO DIA DE ONTEM, ÀS 16:25 HORAS, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
APOSENTADA, VIÚVA DE JOSÉ HERMES FERREIRA, ERA FILHA DE JOÃO BATISTA DE PAULA E VIRGÍLIA MARIA DO NASCIMENTO E DEIXOU OS FILHOS: APARÍCIO, JANDIRA, ISABEL, HELENA, ZILDA, ROQUE, MARIA E FLORINDO.
O SEPULTAMENTO SERÁ REALIZADO LOGO MAIS, ÀS 15 HORAS, JUNTO AO CEMITÉRIO SÃO JOÃO BATISTA, EM SÃO MIGUEL ARCANJO.
 
 

quinta-feira, 26 de maio de 2016

O QUE SERIAM OS REVOLTADOS ON LINE?


É uma ORGANIZAÇÃO DE INICIATIVA POPULAR DE COMBATE aos corruPTos do PODER.
Tem uma página no facebook. Acesse-a e aprenda como se faz para manter viva no coração a chama do patriotismo e a não desistir do Brasil.
Num país onde uma mulher é estuprada a cada 11 minutos, todos somos culpados, porque deixamos de ser responsáveis por ela.
E se assim é, como é que podemos dispensar qualquer debate ligado à EDUCAÇÃO? 
 

MUITO BEM, FROTA! O NOVO MINISTRO MOSTROU BEM QUE SABE AO MENOS O QUE SIGNIFICA DEMOCRACIA.

Especialistas criticam proposta levada por Frota ao ministro da educação.
Ator e membros do grupo Revoltados Online visitaram Mendonça Filho nesta tarde.
 
  
Reprodução/Facebook

A visita do ator Alexandre Frota e de membros do grupo Revoltados Online ao ministro da Educação, Mendonça Filho, e a pauta que eles levaram para discutir - sobre uma escola sem partido - foram bastante criticadas. 
Para especialistas em educação ouvidos pelo jornal O Estado de S. Paulo, a proposta pode tanto ser interpretada como um atentado à liberdade de cátedra quanto uma distorção do papel do educador de oferecer o melhor do conhecimento disponível, com suas contradições, aos alunos.
Para o físico José Goldemberg, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo e ex-reitor da Universidade de São Paulo, trata-se de um posicionamento retrógrado. ----------- "Não é possível não se discutir filosofia e política nas escolas. O que a gente chama de política é algo que Platão fazia há 2.500 anos. É claro que temos de evitar que um professor dissemine política partidária, mas não puni-lo", afirmou.
Ele diz acreditar que isso se resolve com as bases curriculares. ------------- "E para limitar a discussão de assunto em escolas, quem deve decidir não são grupos de militantes, mas de educadores. Se o ministro acha que tem de enfrentar esse assunto, que crie uma comissão com o mais alto nível de educadores - que são muitos no Brasil", disse. ---------------"Agora fico admirado que o ministro da Educação vá se preocupar com isso no começo da gestão, quando há tantos problemas mais agudos para resolver. Me parece retrógrado e obscurantista. Aí amanhã vão querer proibir educação sexual, que vai gerar muito mais problemas. Ou querer o criacionismo no lugar da evolução. Negar isso é andar para trás", criticou.
Diretor científico do Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da USP, o cientista social José Álvaro Moisés defendeu que o fato de receber o grupo não configura por si só um problema, mas se houve sinalização de apoio ao tema, sim.
--------------- "Faz parte do papel do ministro receber pessoas que queiram apresentar propostas de qualquer natureza. Tem de receber pessoas independentemente da opinião para ouvi-las", disse. ----------- "Mas ouvir não quer dizer concordar e aceitar. Criar uma lei para punir professores que adotem posturas ideológicas não faz o menor sentido. É uma atitude contra a liberdade de expressão e de cátedra e não deve ser aceita pelo governo."
Para o filósofo Renato Janine Ribeiro, professor de Ética e Filosofia Política da USP e ex-ministro da Educação, de abril a setembro de 2015, a proposta fere o próprio conceito de educação. ------------- "A pretexto de reduzir algum caráter ideológico do ensino, essa proposta coloca em risco todo o ensino. No limite, não se vai poder falar de ciência, do que as ciências sociais e políticas descobriram nos últimos 200 anos. Isso é contra a modernidade", disse.
------------------------- "As ciências humanas têm estudos do socialismo ao capitalismo. Não se pode confundir o ensino das controvérsias que existem na ciência com ideia de doutrinação ou com partido político. Isso é um golpe contra o conhecimento. Estudar Karl Marx é necessário nas ciências sociais, mas não quer dizer quem estuda Marx vira marxista. Não é à toa que quem propõe isso não é exatamente uma referência científica ou em educação", complementou.
--------------------- "Considero um sinal perigoso que o ministro aceite dialogar sobre educação com quem não tem contribuições a fazer sobre educação", disse.
---------------- "Este ministério comporta a pluralidade e o respeito humano a qualquer cidadão", justificou-se o ministro Mendonça Filho, destacando que as reações gerais ao encontro teriam sido exageradas e configurariam "discriminação" com o ator. ------------- "Não discrimino ninguém, porque respeito a liberdade de cada pessoa para fazer suas escolhas de vida."
O ministro relatou que conheceu Frota e o "pessoal" do Revoltados Online durante os atos pró-impeachment de Dilma Rousseff. ----------------------"Não vejo problema na visita. Discriminação é algo tão abominável e tão mal visto por todos os cidadãos com postura civilizada, que o fato de receber um ator como Alexandre Frota é uma questão que absolutamente deve ser respeitada", falou, julgando-se uma pessoa "não sectária". 
Com informações do Estadão Conteúdo.
 

DILMA SERIA MESMO CARTA FORA DO BARALHO?

"Sou, mas quem não é?"

Com a delação de Sérgio Machado e o avanço nas negociações da do empreiteiro Marcelo Odebrecht, que, segundo o ex-presidente José Sarney, terá a força de "uma metralhadora de [calibre] ponto 100" (uma das mais letais do mundo), o PT joga suas fichas "na implosão do sistema político", avalia "O Estado de S.Paulo". 
Sabedor que Dilma não tem mais chances de recuperar a presidência, o PT trabalha ou pela convocação de novas eleições, da qual participaria, ou até pelo parlamentarismo, que preservaria Dilma como figurante, mas com um naco de poder. Sem ilusões, ao jogar para implodir o sistema, o partido de Lula não pretende melhorá-lo, mas salvar a própria cara. 
Esquece que a orquestra toca o que o maestro manda. 
Foi assim que sempre se financiou: ora via propina de empresas de ônibus, ora via contratos de prefeituras petistas com empresas amigas, ora via estatal financiando partido político e corporação sindical.
 
Blog do Jefferson
 

AGÊNCIA DO BRADESCO DE ANGATUBA FOI ROUBADA

No início da tarde de terça-feira, 24/05, sete criminosos armados com fuzis renderam os vigilantes do Banco Bradesco, no centro de Angatuba, subtraindo-lhes três revólveres calibre 38, além do que renderam os funcionários da agência e os clientes.
Os gerentes foram obrigados a abrir o cofre do banco e assim os meliantes recolheram o dinheiro, porém, antes de deixarem a agência, lançaram água no computador que registra as imagens captadas pelas câmeras de monitoramento.
Após o sucesso da operação, os sete criminosos fugiram em dois automóveis, desaparecendo das vistas da polícia.
O crime patrimonial está sendo investigado por policiais da DIG de Itapetininga.

TEMER DESPERTOU!


O despertar de Temer 

O presidente Michel Temer falou grosso ontem (24) durante o anúncio das medidas fiscais e econômicas no Palácio do Planalto. 
Batendo firme na mesa, afirmou não ter medo de bandidos, que não é "frágil" nem "coitadinho", que seu governo não tem compromisso com o equívoco, defendeu sua família que vem sendo alvo de protestos por baderneiros em São Paulo -, a legitimidade de seu governo e a Lava Jato, e criticou a oposição, que adotou a bandeira do "quanto pior, melhor" e vem tentando frustrar a retomada do crescimento do país. 
Temer, enfim, mostrou que não foge à luta nem tem pavor dos latidos do PT e companhia. 
Bota quente, presidente, não deixe o "bloco dos sujos" contaminar seu governo! 
 
Roberto Jefferson, no seu Blog do Jefferson

CALENDÁRIO DO IMPEACHMENT NO SENADO

Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online


Pelo calendário do relator, senador Antonio Anastasia, o parecer da comissão seria votado no plenário entre 1º e 2 de agosto, mas a comissão especial do Senado deixou para o dia 2 de junho.

SÓ CRISTO É PERFEITO

SE ESTA FAMÍLIA SAIU DA MISÉRIA, ENTÃO EU SOU MILIONÁRIA?